VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

FORTALEZA É A 3ª CIDADE DO NORDESTE COM MAIOR NÚMERO DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER


No Nordeste, 3 em cada 10 mulheres sofreram episódio de violência doméstica ao longo da vida. O número é baseado em uma análise de dados da Pesquisa de Condições Socioeconômicas e Violência Doméstica e Familiar, trabalho da Universidade Federal do Ceará em parceria com o Instituto Maria da Penha (IMP) e Instituto de Altos Estudos de Toulouse (França).
Em termos de violência física ao longo da vida, Salvador (BA), Natal (RN) e Fortaleza (CE) são, nessa ordem, as três cidades mais violentas da região Nordeste.
“A sensação de insegurança das mulheres é presente e significante na região Nordeste, e essa sensação de medo de ser vítima de agressão, tanto física quanto sexual, impacta negativamente na qualidade de vida dessas mulheres”, é outra constatação do trabalho.
O relatório foi apresentado na última quinta-feira (8) em entrevista coletiva na UFC. A Pesquisa de Condições Socioeconômicas e Violência Doméstica e Familiar apoiou-se nas formas de violência consagradas pela Lei Maria da Penha no seu Art. 7º: física, psicológica, sexual, patrimonial e moral.

Surpresa

O professor José Raimundo Carvalho, coordenador da pesquisa, admite que ao longo do trabalho se surpreendia com os dados que surgiam e garante que mudou sua visão em relação ao tema da violência contra a mulher. Entre os dados que chocam, ele cita o relativo à violência contra a mulher gestante e o que aponta para o fato de os filhos dessas mulheres presenciarem as agressões sofridas pelas mães.

“Apesar das dificuldades enfrentadas em se acessar sobre órfãos da violência doméstica, a pesquisa estima uma taxa alta de prevalência desse tipo de orfandade: mais de 2 órfãos por feminicídio”. 

Via Tribuna do Ceará

Um comentário:

GilbertoFreires Oficial disse...

Nosso País é considerado um dos piores lugares do mundo para uma mulher viver,coisa que envergonha muito.